14 de Março de 2011

E na, "A mais ouvida no Alentejo", o jornalista Gabriel Nunes reporta  a 13 de Março na referida antena:

"Os eleitos de 46 das 86 Juntas de Freguesia do distrito de Portalegre, reunidos no I I Encontro Distrital mostraram-se, sábado, contra a extinção ou fusão de freguesias decorrente da reorganização administrativa.
Os autarcas reunidos no Centro de Congressos da Câmara Municipal de Portalegre defenderam ainda que as competências atribuídas às freguesias devem de ser acompanhadas de meios humanos e financeiros."
 
Meus caros, o blog assim olhando, pensando, Mas estes gajos, metade lhe falta à chamada...

Depois, fazendo melhor a conta, a referida malta consegue passar a metade por pouco.

Que o tempo não estava para brincadeiras, é uma muita  verdade. Estava chuvoso e frio, tempestuoso, que  é muita verdade. Mas... Quem gosta nunca lhe vira a cara ou lá o seu doce rosto e seja lá um vento muito violento ou que lá um doce gosto.
 
Que se calhar não se sabia ao que se ia e para o que se ia...
 
Não se sabe quais as que lhe faltaram.
As que lhe fizeram gazeta.
 
Que não é assim.
Não funciona assim.
É um tema muita importante para se lhe dar o abandono total.

A coisa que parece mais um dia de eleições, com uma abstenção muito elevada. Neste caso, ela mostrada pelos eleitos locais.
Que os eleitores estejam cansados de eleições, a coisa ainda vá lá que vá lá. Agora os eleitos estarem cansados, a democrática está ficando muito cansada e a base está-se pouco importando para este Alentejo e só aparece quinze dias antes das eleições.
 
Não basta estar contra se vos diga lá.
Não basta estar contra a extinção ou a fusão das mesmas.
A lei certamente que avança.
 
O que está em causa, é saber, aquelas que consoante a sua densidade populacional onde vão ser inseridas ou incorporadas. No tocante a umas terras de Gavião, as da Atalaia, esta mais pequenina esta alma mais nortenha, onde irá a dita ser incorporada? Ou como será a sua fusão(?), a título de exemplo se questiona. Irá para a da Comenda ou irá para a do Gavião?
 
É discutível meus caros... É apenas um exemplo, entre muitos.
 
Ainda hoje, um jornal relata, o governo está preparar a extinção de mil freguesias.
 
Neste Alentejo, neste Alto Alentejo, a gazeta que se lhe demonstrou, o blog pensa que não tem queijo limiano e nem nunca vai haver queijo limiano por estas terras alentejanas...
 
E depois se lhe diga que a informação circula! Que se sente as necessidades do povo ou lá plebe ou a mais pura treta se regista na margem de um rio que corre tão seco e deserto...
publicado por DELFOS às 14:49
05 de Março de 2011

Mas estas terras a ficar muito bravias ou lá um sem porto ou abrigo e a ser obrigado a comer tempestades de areia em um deserto que se vai alongando e sem poder por no bordo no prato, o Sócrates que pensando e julgando que existindo olha só Lisboa e áreas metropolitanas e esquece a regionalização lá no fim do mundo em um país real e profundo em sua viagem por Lisboa e o povo diz que ele é muito sexy e de boas parecenças e que não é estroina ou fogo que se vá lá ver que tem sempre razão ou uma pequenez tão tamanha em uma pedra ainda tão lascada e gosta muito da filosofia do homem e de suas falas e fogo é uma comédia para quem pensa e uma tragédia para quem sente...Olhando mas que olhando e sentindo esta Arez ou uma terra de Arez em lá uma canoa em seus rios e ribeiros  No numeramento de 1732 indica-se que Arez tinha perto de 340 habitantes... e copiando e juntando a WIKIpédia 362 habitantes (2001) apetece dizer que o povo não tem razão e um raio cai no mesmo sítio e a água que passando continua a passar pelo mesmo sítio e a de Castelo da Comenda lhe segue a mesma pisada e diz que apoia a cultura e não lhe conhece a sua origem e lhe falando numa doutora a não colocando se lhe regista mesmo o deserto e grave é ainda o mais o político lá da praça não informando os seus súbitos do seu reino sobre o resultado dos Censos e a plebe ou lá o povinho a andar na ignorância até que o INE se os lembre de os desbloquear em um tempo a dois a três anos  e diz que a informação circula como se não fosse um faz de conta em linhas que cose e corta e uma gotinha muita miudinha caindo de rosa que se diz formosa e muito bela mas que em seu perfume sabe muito a pouco e não lhe tapa o oco e o vazio...

publicado por DELFOS às 16:16
20 de Fevereiro de 2011

O concelho de Nisa faz fronteira com os concelhos de Gavião, Abrantes, Crato, Castelo de Vide e Vila Velha de Ródão.

Detém uma área de 575,8 km2 e uma densidade populacional de 14,0 habitantes por km2.


Com uma população residente de 8585 indivíduos (2001), o concelho assistiu a um decréscimo populacional, entre 1991 e 2001, em cerca de 13,0%.


A sua população residente caracteriza-se por ser significativamente envelhecida, na medida em que o seu índice de envelhecimento é bastante superior ao de jovens.

Em relação ao índice de dependência total podemos verificar que existe uma proporção da população bastante elevada que se encontra dependente da população activa.

Esta situação regista-se em todas as freguesias do concelho.


Relativamente ao nível de instrução da população residente no concelho podemos verificar que esta se caracteriza pelas baixas qualificações, pois a maioria apenas possui o 1º ciclo do ensino básico.


No que respeita á economia o Concelho de Nisa apresenta uma taxa de actividade de 34,9%, e uma taxa de desemprego relativamente baixa (4,4%) tendo em conta os valores apresentados nos restantes concelhos do Norte Alentejano.

O sector de actividade que emprega mais pessoas no Concelho é o terciário. No entanto na freguesia de Tolosa o sector com mais expressividade é o sector secundário.

A produção de queijo é uma actividade com peso significativo na economia local.

Em todo o concelho especialmente na freguesia de Tolosa existem produtores de queijo de âmbito familiar a par de unidades fabris de maior dimensão dotadas de instalações e equipamentos modernos.

Ao nível da estrutura do tecido empresarial pode-se dizer que a maioria das empresas existentes no concelho pertencem ao sector do comércio (cerca de 321).

Logo de seguida estão as empresas ligadas á agricultura, produção animal, caça e silvicultura (cerca de 174) e ás industrias transformadoras (125).

As actividades mais relevantes para a economia do concelho estão ligadas essencialmente ao sector agro-pecuário (enchidos, queijarias) e também ao sector das indústrias extractivas (pedra).

 

Há ainda a destacar o sector turístico (relacionado com as termas). Outra das potencialidades do concelho prende-se com a proximidade do rio Tejo, que potencia todas as actividades ligadas ao turismo, nomeadamente actividades de animação turística e ligadas á conservação da natureza.


Situação Geográfica

 

Nisa é uma vila Portuguesa do Distrito de Portalegre, região Alentejo e sub-região do Alto Alentejo.

O concelho de Nisa faz fronteira com os municípios de Gavião, Abrantes, Crato, Castelo de Vide e Vila Velha de Ródão.

É constituído pelas seguintes freguesias: Alpalhão, Amieira do Tejo, Arez, Espírito Santo, Montalvão, Nossa Senhora da Graça, São Matias, Santana, São Simão e Tolosa.

 

 

 

 

O referido estudo, ele neste concelho, ele não nos dá a população de 1991. Mas o mesmo regista em 2001, uma população de 8585 indivíduos. O mesmo acrescenta - sem citar o número da população de 1991 - houve, neste concelho de Nisa uma variação de 13,0 a menos.

 

 

 

O Índice de Juventude em Alpalhão é de 15,3. Na Amieira do Tejo é de 5,5. Em Arez 13,5. Em Espírito Santo é de 17,7. O Índice da Juventude em Montalvão é de 6,0. Na N. Srª da Graça 17,1. Em S. Matias 10,3. Em Santana 10,1. Em S. Simão 2,6. Na Tolosa - na Graciosa Tolosa - o Índice da Juventude é de 16,3.

 

 

 

No tocante ao Índice de Envelhecimento, Alpalhão 313,4; Amieira do Tejo 781,8; Arez 700,0; Espírito Santo 224,2; Montalvão 1257,1; N. Srª da Graça 206,0; S. Matias 1750,0; Santana 900; S. Simão 11300,0; A de Tolosa 309,2.

 

 

 

Índice de Dependência dos jovens, Alpalhão 19,5; Amieira do Tejo 19,1; Arez 15,4; Espírito Santo 18,8; Montalvão 12,9; N. Sr.ª da Graça 20,6; S. Matias 5,4; Santana 13,9; S. Simão 2,4; Tolosa 19,9.

 

 

Índice de dependência de idosos, Alpalhão 61,3; Amieira do Tejo 149,6; Arez 108,0, Espírito Santo 42,1; Montalvão 162,2; N. Srª da Graça 42,5; S. Matias 94,2; Santana 125, 1; S. Simão 269,0; Tolosa 58,8.

 

 

 

Índice de dependência total, Alpalhão 80,8; Amieira do Tejo 168,7; Arez 123,5; Espírito Santo 60,8; Montalvão 175,1; N. Sr.ª da Graça 63,2; S. Matias 99,6; Santana 139,0; S. Simão 271,4; Tolosa 77,8.

 

 

 

Nos Censos 2001, a distribuição da população no concelho segundo os grupos etários, era dos 0-14 anos uma população de 837. Dos 15 aos 64 anos a população era 4659 pessoas. Mais de 65 anos a população contava com 3089 indivíduos.

 

 

 

A Taxa de Analfabetismo neste concelho era de 21,3%.

 

 

 

População Activa - 2994.

População empregada - 2746.

Taxa de Actividade - 34,9.

 

 

 

A taxa de desemprego no ano de 2001, era neste concelho de Nisa de 4,4%.

 

 

 

As principais actividades económicas neste concelho, agricultura, queijarias, extracção de pedra e turismo termal.

publicado por DELFOS às 09:03
16 de Fevereiro de 2011

MAS FOI UMA BOMBA QUE EXPLODIU E QUE PARECE QUE È A SEGUNDA VEZ QUE A COISA ACONTECE NAS TERRAS DESTE ALTO ALTENTEJO...

O jornal "diariodosul.com.pt/index,php/economia/4776" informa o seguinte Alentejo recebe 14 milhões do PIDDAC mas há 18 concelhos que ficam de fora, assim informava o seu povo e os seus leitores e as suas gentes.

Em ano de contenção a proposta do Governo é pouco generosa em sede de PIDDAC (Plano de Investi-mento e Despesas de Desenvolvimentoda Administração Central) no tão propalado Orçamento de Estado para 2011.
Os concelhos alentejanos repartem apenas 14 milhões de euros, mas há 18 municípios que não foram contemplados com qualquer verba. Évora lidera o investimento, com um total de 3,1 milhões de euros, seguindo-se Beja, com 2,3 milhões.
Na capital do Alto Alentejo a componente 2 do programa Polis recebe cerca de meio milhão de euros, enquanto a já anunciada requalificação do Convento São Bento de Castris viu consignados 333 mil euros. Já para a construção do Arquivo Distrital o governo liberta 20 mil euros, sendo que a Escola André de Resende e o Pólo dos Leões também estão entre a lista.
Por ordem alfabética, Arraiolos viu consignada a requalificação de espaços públicos, com 334 mil euros, enquanto Borba recebe 145 mil para Escola EB Padre Bento Pereira. Também a Escola Sebastião da Gama, em Estremoz, recebe 363 mil euros, menos sete mil do que Montemor-o-Novo, que foi contemplado com 370 mil euros para a ordem pública e serviços de saúde. Mourão tem 434 mil euros atribuídos ao Lar Senhora das Candeias, da Santa Casa da Misericórdia.
Portel e Redondo foram ambos contemplados com um milhão de euros para os respectivos centros de saúde, ao mesmo tempo que Vila Viçosa vai receber 499 mil para remodelação do Palácio da Justiça.
Ficaram de fora Viana do Alentejo, Mora e Vendas Novas.Enquanto em Beja, cerca de 2 milhões vão directos para a segunda fase de construção da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, sendo que 350 mil serão encaminhados para o lar de idosos da Casa do Povo de São Barnabé, os 206 mil euros atribuídos a Alvito destinam-se à criação da EB1/Jardim de Infância, sendo que Barrancos recebe 97 mil para o centro de saúde.
A maioria das verbas atribuídas a Ferreira do Alentejo (125 mil), Odemira (10 mil) e Mértola (292) destinam-se à remodelação do património judiciário, embora Mértola vá ainda dispor de uma percentagem para o Lar de Idosos, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário de São Miguel do Pinheiro e à criação de trilhos para visitação e conservação do Vale do Guadiana.
Já os 5 mil euros que o PIDDAC atribuiu a Ourique contemplam a requalificação da Escola Básica, enquanto Serpa recebe 149 mil para expansão da Rede de Lojas do Cidadão. Vidigueira vai requalificar a Escola Básica integrada Frei Antó-nio das Chagas com 309 mil euros
De fora do PIDDAC 2011 no distrito de Beja ficam os concelhos de Moura, Castro Verde, Cuba, Aljustrel e Almodôvar.
Nos concelhos do Litoral Alen-tejo, Sines surge na linha da frente com um total de 870 mil euros, para repartir entre a ampliação do molhe leste no Terminal XXI, controlo de operações marítimo portuários, sistema judiciário, centro de saúde e plano de praia do norte, que vai receber a maior fatia deste “bolo”, com 500 mil euros.
Alcácer do Sal tem inscritos 637 mil euros para a Santa Casa da Misericórdia do Torrão e mais 65 mil para o novo mapa judiciário, que no concelho de Grândola rende uns solitários 10 mil euros.
Já Santiago do Cacém, o mesmo sector acolhe um investimento de 226 mil euros.
Portalegre é o distrito mais penalizado com este apertar de cinto. Vai receber apenas 966 mil euros e dez concelhos ficaram à margem. Arronches, Sousel, Monforte, Avis, Fronteira, Alter do Chão, Ponte de Sôr, Marvão, Castelo de Vide e Crato.
Elvas recebe mais de metade do montante, com 537 mil euros a serem destinados à construção do Estabelecimento Prisional e Palácio da Justiça, enquanto Campo Maior recebe 145 mil para a Escola Básica João Baptista e expansão de Lojas do Cidadão.
A capital de distrito garante 135 mil euros para o Colégio e Igreja de São Sebastião, Plano de Acção de Alegrete e EB Cristóvão Falcão. Avis é contemplado com 29 mil euros para a operação de revitali-zação do centro histórico. Gavião viu consignados 115 mil euros para o Centro Social da Santa Casa da Misericórdia e a EB Professor Mendes dos Remédio (Nisa) surge na lista com 5 mil euros.
publicado por DELFOS às 08:38

"O Bispo Diocesano, inteirado sobre o velhíssimo projecto do Pisão e o que ele representa para vários concelhos - Crato, Alter, Fronteira e Avis -bem como os anos que leva de promessas e falsidades, tratou de estudar o caso.
Conta o D. António ao nosso jornal que «fiz perguntas sobre a barragem do Pisão e soube que esteve primeiro para se chamar de Andreus - o que não interessa para o caso - mas os estudos começaram em 1958».
«Perguntei sobre se o terreno tinha sido expropriados e responderam-me que não, se bem que não me souberam dizer se os terrenos junto ao paredão foram ou não expropriados».
«Agora os estudos foram feitos, depois houve os estudos ambientais, entretanto também houve estudos sobre a rentabilidade, sobre se o caudal da Ribeira de Seda com a Ribeira Grande viabilizava os objectivos» e sei que «houve equipas e mais equipas umas atrás das outras» a fazer os estudos, «depois surgiram questões sobre se a finalidade seria só agrícola, depois se seria só para abastecimento de água, e acaba por ser sempre a barragem que só se constrói e só se anuncia em altura de eleições».
Conclui o Bispo que, «pelo que vejo é um projecto que parece não ter pernas para andar, embora as gentes quisessem que sim», se bem que saiba que há um grupo de pressão liderado pelo Câmara do Crato»"

O blog "ALENTEJO no NORTE" concorda com Senhor Bispo Diocesano. Concorda com a entrevista que deu ao jornal "ALTO ALENTEJO".
Também diz, não deixa de ser a pura verdade, este edil com os municípios que fazem parte do projecto e querem a sua construção para o desenvolvimento dos seus concelhos, eles, já foram a Lisboa falar com os Grupos Parlamentares sobre o assunto e parece que boas águas trouxeram da nobre capital lá Lisboa.
Mas o blog também diz, para quem estuda esta cultura popular e na zona, quem promete acaba por faltar à sua palavra...
publicado por DELFOS às 06:06
15 de Fevereiro de 2011

INSOLVÊNCIA DE: EUROLIVA – AZEITES E ÓLEOS ALIMENTARES, S.A. PROCESSO Nº 878/09.2 TBPTG –1º JUÍZO TRIBUNAL DA COMARCA DE PORTALEGRE A
D
DMINISTRADORA DA INSOLVÊNCIA: IGNÍSSIMO SENHOR DR. ADEMAR LEITE
Rua João das Regras, n.º 284 – 1º, sala 107 Edifício João das Regras 4000-291 Porto
Tel. 22 202 40 40 Fax. 22 201 30 52
Av. Duque de Loulé, n.º 47 – 6º Dt.º 1050-086 Lisboa Tel./Fax. 21 386 23 74
domuslegis.com@gmail.com www.domuslegislda.com
C
ONDIÇÕES DE VENDA BENS IMÓVEIS 1º -
São da responsabilidade do comprador os encargos com IMT, escrituras e registos; 2º -
3º -
O comprador hoje deixa dois cheques, sendo um de sinal de 20% do valor licitado emitido à ordem da Massa Insolvente de Euroliva – Azeites e Óleos Alimentares, S.A. e outro de 2% + IVA sobre o valor licitado referente à prestação de serviços da Leiloeira, emitido à ordem de Domus Legis, Lda. O restante pagamento será efectuado no acto da outorga da escritura, com cheque visado, que será efectuada até ao prazo máximo de 90 dias, a contar desta data. 4º - Os bens são vendidos no estado físico e jurídico em que se encontram, bem como são vendidos livres de quaisquer ónus ou encargos, que serão cancelados conforme artigo 101º n.º 5, do Código do Registo Predial. (A inscrição de aquisição, em processo de execução ou de insolvência de bens penhorados ou apreendidos determinam o averbamento oficioso de cancelamento de registos dos direitos reais que caducam nos termos do n.º 2 do artigo 824º do Código Civil). BENS MÓVEIS 1º -
2º -
Os compradores deixam no dia do leilão dois cheques, sendo um do valor global licitado + IVA emitido à ordem da Massa Insolvente de Euroliva – Azeites e Óleos Alimentares, S.A. e outro de 10 % + IVA referente à prestação de serviços da Leiloeira, emitido à ordem de Domus Legis, Lda. Os bens são vendidos no estado físico e jurídico em que se encontram, não podendo garantir que os mesmos se encontram em estado de funcionamento. Assim sendo, declinamos, massa insolvente e Domus Legis, Lda., toda e qualquer responsabilidade do funcionamento dos mesmos. 3º - Para levantamento dos bens adquiridos, esta Leiloeira entrará em contacto com os compradores, a marcar dia e hora, após boa cobrança dos cheques. Caso tenham alguma dúvida, agradecemos que esclareçam com o representante da Leiloeira aqui presente. RELAÇÃO DE LOTES BENS IMÓVEIS: LOTE N.º 1 Prédio urbano composto de casa de rés-do-chão com área coberta de 70 m2 sito na Quinta da Alegria, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a- Nova, a confrontar a norte e nascente com Rosalina de Jesus, sul e poente com "Oleicola Izimarte,Limitada", descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 1178/20011220, inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 581 LOTE N.º 2 Prédio urbano composto de edifício de rés-do-chão com dois anexos e logradouro com área total de 6.687 m2 sito na Quinta da Alegria – Estrada Nacional, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com António José Carreiro de Carvalho, sul com Euroliva, S. A., nascente com Estrada Nacional e poente com João Gil Milheiro e Rui Lemos Viana, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 1149/20000703, inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 1125 LOTE N.º 3 Prédio urbano composto de edifício de rés-do-chão para habitação e sala destinada a café-restaurante e dois anexos com logradouro, com área total de 4.375 m2, sito na Quinta da Alegria – Estrada Nacional, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com Euroliva, S. A.,sul com Manuel Valente Boavida, nascente com Estrada Nacional e poente com João Gil Milheiro, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 1150/20000703, inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 1126 LOTE N.º 4 Prédio urbano composto de parcela de terreno para construção, com área de 11.000 m2, sito na Quinta da Alegria, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com Rui Paços Feio Lemos Viana, sul com Estrada, nascente e poente com Euroliva, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 1310/20060911, inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 1143 LOTE N.º 5 Prédio misto composto de cultura arvense, figueiras, oliveiras, sobreiros, prado natural e um agregado que se destina a fábrica de extracção de óleos vegetais, sendo um corpo destinado a armazém de bagaços; outro destinado a fabrica, e outro destinado a escritório, logradouro,sito em Alegria ou Quinta da Alegria, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com Junta de Freguesia, sul com Delfim Robalo e Joaquim Carreiro Carvalho Polgado, nascente com Estrada Nacional e poente com Joaquim de Campos, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 1176/20011220, inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 711 e na matriz rústica sob o artigo 31 secção C LOTE N.º 6 Prédio rústico composto de prado natural, com área de 3.500 m2, sito na Quinta da Alegria, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com Luís Pedro Gonçalves Lopo, sul com Caminho, nascente com Estrada Nacional e poente com Miguel Valente da Costa e outros e Caminho, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 1177/20011220, inscrito na matriz predial rústica sob o artigo 24 secção C LOTE N.º 7 Prédio rústico composto de terra de cultura arvense e vinha, com área de 42.000 m2, sito na Quinta da Alegria, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com Caminho Público, sul com Engº Rui Lemos Viana, nascente com Caminho Público e poente com Estrada Nacional e António José Folgado Carvalho, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 606/19930210, inscrito na matriz predial rústica sob o artigo 167 secção A LOTE N.º 8 Prédio rústico composto de terra de cultura arvense, com área de 14.500 m2, sito na Quinta da Alegria, da freguesia de São Miguel de Acha, concelho de Idanha-a-Nova, a confrontar a norte com Engº José Feio Lemos Viana, sul e nascente com Estrada Nacional e poente com José Domingues, descrito na Conservatória do Registo Predial de Idanha-a-Nova sob o nº 607/19930210, inscrito na matriz predial rústica sob o artigo 41 secção C UNIDADE INDUSTRIAL (BENS MÓVEIS E IMÓVEIS) LOTE N.º 9
-Prédio urbano composto de casa de habitação de rés-do-chão e 1º andar, tendo no rés-do-chão uma divisão que serve de lagar de azeite, 3 pavilhões anexos destinados a armazém e uma casa que serve de arrecadação, com quintal anexo, com área de 4.242 m
- Prédio rústico composto de cultura arvense, denominado "Fonte Nova", com área de 26.950 m
"Euroliva – Azeites e Òleos Alimentares, S.A.", nascente com Estrada Nacional e poente com Estrada Nacional, descrito na Conservatória do Registo Predial do Crato sob o nº 879/20061003, inscrito na matriz predial rústica sob o artigo 356 Secção G
- Prédio rústico composto de cultura arvense, denominado "Fonte Nova", com área de 48.750 m
- Um compressor da marca Fini modelo Plus 40 eum depósito de mil litros de cor vermelha, um grupo composto por duas bombas da marca Gonzales Paris, dois vibradores sem marca visível de cor verde, um senfim de onze metros, um Garibaldi, uma escada em alumínio e um extintor Co
aquecimento, uma caldeira a gasóleo, da marca Ignis e um depósito da caldeira para gasóleo, três armários vestiários, um com quatro módulos e três com oito módulos, uma secção/loja composta por três estantes em madeira, uma mesa redonda em madeira com bordado de Nisa, uma cadeira em madeira, três cadeiras metálicas forradas a napa de cor preta, uma secretária metálica com tampo em fórmica, vinte e cinco embalagens de azeite com três litros cada, uma mesa de reuniões rectangular metálica com tampo em madeira, oito cadeiras metálicas forradas a napa de cor castanha, um móvel frigobar com duas portas, uma secretária metálica com tampo em fórmica, um cofre monobloco de cor cinza, duas secretárias pequenas rectangulares metálicas com tampo em fórmica, um cesto para papéis, duas cadeiras metálicas forradas a napa de cor preta, sendo uma com rodas, dois armários metálicos para arquivo, um computador de linha branca, um monitor da marca Philips, um teclado da marca NGS, um rato da marca Samsung, uma impressora da marca HP modelo Deskjet F4180, uma máquina de calcular da marca Casio modelo FR620TER, uma máquina de escrever eléctrica da marca Brother, dois móveis em madeira de arquivo com três portas cada e seis prateleiras, duas secretárias metálicas rectangulares com tampo em fórmica, um móvel de arquivo pequeno com duas prateleiras e três gavetas, outro móvel de arquivo metálico com tampo em madeira com duas portas, um ar condicionado da marca Haier, três cadeiras metálicas, sendo duas forradas a napa de cor castanha e uma forrada a napa de cor preta, dois móveis de arquivo, um móvel em madeira e outro metálico com duas portas de correr em vidro, uma UPS da marca APS, uma máquina de escrever manual, trinta e oito peças antigas, um ar condicionado da marca LG, uma cadeira metálica forrada a napa de cor preta, cinco móveis de arquivo em madeira e inox, com duas portas e uma gaveta cada, uma secretária metálica com tampo em madeira em formato arredondado, três cadeiras, sendo duas metálicas forradas a napa de cor castanha e outra forrada a napa de cor preta com rodas, um destruidor de papel da marca Crocodile, um ficheiro metálico com uma gaveta, um móvel de arquivo metálico com duas portas, um fotocopiador da marca Toshiba modelo Studio 200 com móvel de apoio, um computador de linha branca, um monitor da marca Liteon, um teclado da marca Genius, um rato da marca Trust, uma máquina de calcular da marca Casio, uma mala de primeiros socorros, um aspirador da marca Kranzle, uma secretária metálica rectangular com tampo em madeira, uma mesa de computador metálica quadrada com tampo
em madeira, um móvel de arquivo pequeno metálico com tampo em fórmica, com três portas, sendo duas vidro e uma metálica, um fax da marca Samsung, modelo SF330, um computador de linha branca, um monitor da marca Liteon, um teclado da marca NGS, uma marca de calcular da marca Citizen modelo 350BPII, um cabide em metal e em madeira, uma viatura ligeira de mercadorias da marca Toyota modelo Dyna, de cor branca, a diesel, com matrícula n.º 29-00-BI, um laboratório composto por: uma máquina de análises da marca Altlec modelo HR302, um depósito de cinquenta litros, uma máquina de análises da marca Altlec modelo FG707, dois moinhos sem marca visível, um desumidificador, uma secretária metálica com tampo em fórmica, uma mesa metálica com tampo em madeira, uma cadeira metálica forrada a napa de cor preta, uma balança da marca Tissot modelo Celi, uma mesa metálica rectangular com tampo em madeira, seis cadeiras metálicas, sendo cinco com encosto em madeira e uma em fórmica, duas estantes em dexion com um módulo cada, uma máquina de fechar sacos da marca Lobero, uma balança da marca Costa & Branco, outra balança da marca Abery, um UPS da marca APS, um medidor de análises manual, três extintores de pó e dois armários metálicos de cor verde com uma porta, um grupo de máquinas composto por: duas separadoras de caroço da marca JAR, duas bombas hidráulicas da marca Manzano, nove senfins, respectiva tubagem e três quita pedra e quadro eléctrico de comando da marca Ager, um carro metálico transporte de máquinas, um carro de mão, um porta paletes e um escadote em alumínio, uma secção composta por peças diversas novas e usadas para máquinas, três extintores, estantes em madeira e em dexion, uma bancada metálica com um torno de bancada, uma serra eléctrica da marca Metabo, uma máquina de furar de meia coluna sem marca visível de cor verde, um engenho de furar de coluna da marca Efi, quatro armários metálicos com uma porta cada, um quadro de parede com ferramenta diversa, uma máquina de lavar a pressão com pistola sem marca visível e um cadernal de três toneladas e um conjunto com maçarico e manómetros,
com um vibrador incluído, um vibrador da marca Pieralisi, uma batedeira com dois corpos horizontais da marca Pieralisi, uma batedeira com quatro corpos horizontais da marca Pieralisi e duas bombas de massa e respectivo quadro, uma caldeira de aquecimento de água da marca Industrias de La Rosa com respectivo talvin de alimentação, um senfin e dois talvos, um lote composto por uma bomba hidráulica da marca Gonzales Paris e um senfim, um grupo composto por: três secadores com comando sendo um da marca Itea composto por: três fornos com respectivos alimentadores e ventiladores, motores, redutores, tubagem de extracção de fumo e respectivos tapetes, catorze senfins, uma misturadora, três silos (tubas), seis ciclones, três ventiladores de extracção de fumo, dois motores de arranque das tubas dos secadores, um aparelho de soldar da marca Telwin, um compressor de cem litros de uma cabeça da marca Rubete, uma balança de báscula de sessenta toneladas com computador, impressora, teclado, rato e duas secretárias metálicas com tampo em fórmica, uma pá carregadora com balde da marca New Holand, avariada, um lote composto por: quatro senfins, uma misturador, um quita pedras e um depósito para bagaço em ferro, um depósito com capacidade para oito mil litros em fibra, um lote composto por: uma cama metálica de solteiro com colchão, dois móveis em madeira um com duas portas e outro com duas portas e duas gavetas, dez cadeiras, quatro sofás sendo dois para três pessoas e dois individuais, uma televisão da marca Mitsai com comando, dois aquecedores sendo um a óleo, uma mesa metálica rectangular com tampo em madeira, dois frigoríficos com duas portas cada, um da marca Orima e outro da marca Snowcap, um microondas da marca LG, um fogão a gás de quatro bicos da marca Filco, uma mesa metálica com tampo em fórmica, um PT transformador da marca Efacec, um quadro de diferenciais e um quadro de baterias, um lote de sucata diversa, uma linha de recepção de azeitona composta por: sete tolvins de recepção da marca Azigran, nove tapetes da marca Azigran, uma desfolhadora da marca Azigran, uma lavadora da marca Azigran, uma balança da marca Azigran, dois moinhos de azeitona da marca Pieralisi, uma bomba de bagaço e três senfins, um contentor em fibra, três secretárias metálicas com tampo em fórmica, uma estante em dexion com um módulo, um armário metálico com duas portas, um computador de linha branca, um monitor da marca Eliteon, uma impressora da marca Epson, um teclado da marca Samsung, cinco cadeiras, uma televisão da marca Mitsai e um ar condicionado da marca Sanyo, um lote composto por dez extintores, quatrocentos e trinta e
nove bidões em plástico, vinte e quatro mil e quatrocentos litros de azeite na cuba n.º 1, três mil e quinhentos litros de lamprante na cuba n.º 7, dois mil cento e noventa e cinco litros de azeite
2, sito em Cabine do Vale do Peso, da freguesia de Vale do Peso, concelho de Crato, a confrontar a norte e poente com António Romão Farto, sul e nascente com Estrada Nacional, descrito na Conservatória do Registo Predial do Crato sob o nº 10/19841211, inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 499. 2, sito em Vale do Peso, da freguesia de Vale do Peso, concelho de Crato, a confrontar a norte com Caminho Público, sul com 2, sito em Vale do Peso, da freguesia de Vale do Peso, concelho de Crato, a confrontar a norte com Estrada Pública, José Ventura Semedo e outros, sul com Elvira Ferto Calhaço", nascente com Estrada Nacional e poente com José Ventura Semedo e outros, descrito na Conservatória do Registo Predial do Crato sob o nº 880/20061003, inscrito na matriz predial rústica sob o artigo 355 Secção G 2, uma escada em alumínio com cinco degraus, um depósito/cuba em inox com capacidade para cinquenta mil litros, com a referência interna n.º1, um depósito/cuba em inox com capacidade para cinquenta mil litros, com a referência interna n.º1, um depósito/cuba em inox com capacidade para cinquenta mil litros, com a referência interna n.º3, um depósito/cuba em inox com capacidade para sessenta mil litros, com a referência interna n.º7, um depósito/cuba em inox com capacidade para sessenta mil litros, com a referência interna n.º8, um depósito/cuba em inox com capacidade para sessenta mil litros, com a referência interna n.º9, um depósito/cuba em inox com capacidade para cinquenta mil litros, com a referência interna n.º4, um depósito/cuba em inox com capacidade para cinquenta mil litros, com a referência interna n.º5, um depósito/cuba em inox com capacidade para cinquenta mil litros, com a referência interna n.º6, dois tanques de fibra de vidro com capacidade para trezentos litros cada, uma bomba de azeite da marca Nova Rotors, uma bomba de azeite sem marca visível de cor cinza, uma bomba hidráulica da marca Manzano, um vibrador de azeite referência CST, uma bomba de azeite da marca Pieralisi, um conjunto de passadeiras em inox, um lote composto por cento e catorze paletes com trinta embalagens cada, num total de três mil quatrocentas e vinte embalagens, em plástico para azeite, um aparelho mata insectos e duas mesas metálicas de cor verde, dois ventiladores de dois aparelhos mata insectos da marca Rentokil, um tanque em inox,
uma batedeira de três corpos horizontais da marca Industrias de La Rosa com comando electrónico da marca Pieralisi, um conjunto de quatro centrifugas verticais da marca Pieralisi, três reservatórios em inox e seis bombas de azeite da marca Pieralisi, uma batedeira composta por três corpos industrias da marca Industrias de La Rosa, duas bombas e um quadro eléctrico, duas bombas da marca Gonzales Paris, um decanter da marca Hiller Valor Base de Venda ...………………..……..…………….………………. € 1.427.652,50

O blog "ALENTEJO no NORTE" se pergunta como é possível uma coisa destas e um mostro que foi se tornor pó...
publicado por DELFOS às 12:24
21 de Janeiro de 2011

Diário da República, 2.ª série — N.º 15 — 21 de Janeiro de 2011  
 
Aprovado pelo Decreto -Lei n.º 380/99, de 22 de Setembro, no prazo de 90 dias úteis. Decorrido o referido prazo de 90 dias úteis, que terminou no pretérito dia 10 de Dezembro de 2010 e em cumprimento e para efeitos do disposto no ponto 13 da Resolução do Conselho de Ministros
n.º 53/2010, de 2 de Agosto, é publicada a listagem dos municípios que procederam à adaptação e a listagem dos municípios que não procederam à adaptação dos seus planos directores municipais ao Plano Regional de Ordenamento do Território do Alentejo e nos quais, opera a suspensão a que se refere o ponto 8 da mesma Resolução, até à publicação da respectiva alteração por adaptação.


Caros.
Meus Caros. Não foi possível lhe dar o seguimento devido. O diário e a fonte só lhe davam o negrito. O blog não sabe o que era o negrito e por isso a coisa a deixou ficar assim. Apenas sabe que alguns não fizeram a respectiva a adaptação.
O blog pensa que eles vão levar assim um puxão de orelhas e uma palmadinha que não sabe onde é o sítio onde ela vai ser dada.
Não são muitos. No máximo são assim uns dez. Não mais. 
A Nisa, sempre. Não sabe se ela, este concelho, uma terra que sabe receber também na maior excelência quem a visita, o blog não sabe se ela fez o trabalhinho já assim algum tempo e dando assim um bigodinho a outras e a outros, ou, meus caros, a dita lhe fez assim uma gazeta e deu um furo. Na observação que o blog faz, não deixa de ser um atraso muita grande a outros e outras, os concelhos deste distrito, a sensação fica da parte quem escreve - pois não tem provas e não conhece - parece que só agora se respondeu a uma chamada.
Não deixa também de ser esta coisa do PDM um documento secreto e só para os eleitos e os eleitores na ignorância a ver uma nora. Enfim meus caros, esta democrática tem muito destas coisas. Depois se diz que é muito transparente o conto do vigário e só acredita quem quer o que também é uma verdade... 

Municípios que procederam à adaptação:

a)Alcácer do Sal; b) Alter do Chão; c) Alvito; d) Arraiolos; e) Arronches; f) Avis; g) Barrancos;) Borba; i) Campo Maior; j) Castelo de Vide; k) Castro Verde; l) Crato; m) Elvas; n) Estremoz; o) Évora; p) Fronteira; q) Gavião; r) Grândola; s) Marvão; t) Monforte; u) Mora; v) Mourão; x) Ourique; z) Ponte de Sor; aa) Portalegre; ab) Portel;) Redondo; ad) Santiago de Cacém; ae) Serpa; af) Sines; ag) Vendas Novas; ah) Viana do Alentejo..."


publicado por DELFOS às 15:29
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO