10 de Fevereiro de 2011

"Arez da Idade Média à Idade Moderna: um estudo monográfico Leitão, Ana Cristina Encarnação Santos Tese de mestrado em História Regional e Local apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2008 http://catalogo.ul.pt/F/?func=item-global&doc_library=ULB01&type=03&doc_number=000546695

http://hdl.handle.net/10451/1738"

publicado por DELFOS às 10:27

“O Portalegre Digital ao Serviço da Promoção e Massificação dos Conteúdos e da Literacia Digital”

No âmbito do INALENTEJO, a Associação para o Desenvolvimento de Portalegre Distrito Digital apresentou em Junho de 2010 uma candidatura intitulada “O Portalegre Digital ao Serviço da Promoção e Massificação dos Conteúdos e da Literacia Digital”, candidatura essa que se encontra à presente data aprovada no Eixo I – Competitividade, Inovação e Conhecimento, Regulamento Específico da Economia Digital e Sociedade do Conhecimento, com um investimento total elegível de 517.962,94 €, a que corresponde um financiamento FEDER, à taxa de 70%, de 362.574,06 €.

A Operação que serve de sustentáculo à Candidatura tem como meta contribuir para a prossecução das políticas públicas nacionais para as áreas da Sociedade da Informação e do Conhecimento, procurando promover cada vez mais a qualidade e inovação nos processos de aprendizagem e promoção da literacia digital e conteúdos temáticas. Este trabalho pretende minimizar as barreiras digitais criadas na concepção desses mesmos conteúdos, especialmente aos que estão relacionados com as entidades públicas.

Como tal, foram apresentadas várias ferramentas que se querem úteis para a melhoria progressiva de todos estes processos, capazes ao mesmo tempo de criar um ambiente cada vez mais inovador, principalmente através da Digitalização de Conteúdos Temáticos e da Promoção de Literacia Digital. A perspectiva escolhida para levar a cabo este trabalho pretende-se simples e objectiva, visando contribuir para a qualidade do ensino, fortificar a facilitar a utilização das Novas Tecnologias e permitir que essa experiência seja replicada noutros contextos. A Promoção da Literacia Digital será feita através de uma Biblioteca Digital, tornando-se desta forma numa janela aberta para a toda a Região, indo assim de encontro a algumas das prioridades definidas para o Alentejo, desde a inovação à tecnologia, às políticas de desenvolvimento regional.

A nível prático, a prossecução destes objectivos passa assim pela criação de uma Biblioteca Digital, englobando uma Base de Conhecimento com a informação relevante constante em documentos e livros antigos, propriedade dos acervos documentais dos diversos associados, desde as Câmaras Municipais, Instituto Politécnico, Associações Empresariais, entre outros, e em que cada um deles terá acesso à sua própria documentação. Outros dos aspectos práticos desta Base prende-se com a disponibilização de livros e outros manuais em formato digital no âmbito da infoexclusão.

Desta forma, a pertinência desta candidatura justifica-se sobretudo pela necessidade de capacitar o território de conhecimento localizado, propiciados pela proximidade física e pelas economias de aglomeração, sendo que estes elementos facultam contactos entre os actores e facilitam a transmissão de conhecimento e, consequentemente, aumentam a capacidade de inovação.

Através de mais esta iniciativa do Portalegre Distrito Digital, espera-se ganhar maior relevância na formação de massa crítica para os processos de aprendizagem colectiva e de criatividade, os quais requerem uma intensidade elevada de outras formas de proximidade como a institucional, organizacional, cognitiva e social, que estão para além da proximidade geográfica, e que podem tomar a configuração de redes.

Fonte: http://www.portalalentejano.com/?p=24067 de

publicado por DELFOS às 06:41

É daquelas coisas que nunca pode haver consentimento e consenso. É a "guerra dos números". Eles serão sempre utilizados a seu bem entender, seja lá quem esteja no poder. Pena é que os números, uma vez na vida, não seja lá uma vez um ponto de reflexão e uma mudança na procura de um outro caminho. Nunca pode haver uma política que não seja baseada neles. Se ela a existir, o blog acredita, o seu conhecimento não faz parte das pessoas.

O problema deste concelho, o problema estrutural deste concelho - dos outros também se calhar - a informação não circula.

O blog se está lembrando, finais dos anos noventa, ao INE escreveu a perguntar e a pedir informação sobre como estava lá a coisa dos números. Claro que recebeu resposta. Ela trazia três fotocópias, e toma lá que já aprendestes, 1100$00.

Claro que apitou o combóio...

Mas sempre acreditou e acredita que se esbanja lá o conhecimento e o que para muitas pessoas a coisa não funciona assim.

Podia ficar quieto. Não podia ficar quieto...

O conhecimento o podia guardar e o não ter dado a provar e "qual é coisa qual é ela" o tenta publicar no estimado Jornal "Gavião com Voz" e a coisa foi parar ao caixote do lixo e até agora nada...

Moral da história lá passageira, a coisa a guardou e a começou a publicar agora.

Neste mundo da Internet, podendo lá ser muito tenebroso mas de luz, fazendo uma pesquisa assim numa muito ligeira, o concelho de Gavião foi o concelho juntamente com o de Almeida e Pampilhosa que perdeu mais população em 2008...

Os outros:

- Alter do Chão em 11,3%;

- Arronches em 7,8%;

- Avis em (?);

- Campo Maior em 1,7%;

- Castelo de Vide em 6,6%;

- Crato em 14,1%;

- Elvas em 4,5%;

-Fronteira em 9,5%;

- Marvão em 8,8%;

-Monforte em 9,7%;

- Nisa em 13%;

- Portalegre em 5%;

- Sousel em 6%.


Não.

Não é o número de habitantes da vila Gavião. É o número de habitantes do concelho de Gavião.

Que as coisas mudam. Assim a coisa se espera. Em 2011, a coisa apenas se verá...Não se comece a pensar diferente e depois se lhe tente tapar a boca.

publicado por DELFOS às 01:47

Data

Dependia de

Faziam depender

Extinguia-se a dependência

1519

Foral Da Vila de Gavião

1519

Almoxarifado de Abrantes

sec XVI e XVII

Almoxarifado de Amiera

Almoxarifado de Abrantes

1705

Priorado do Crato

Almoxarifado de Amiera

1759

Priorado do Crato

Vale da Carreira, Degracia, Montinho, Atalaia, Encarreiradas, Cadafaz, Amieira Cova e Vale Carvalho

1833 a 1835

Comarca de Castelo Branco

Priorado do Crato

1834

Concelho de Margem

1835

Julgado de Alpalhão

Comarca de Castelo Branco

1836

Comarca de Portalegre

Freguesia da Comenda, Concelho de Belver, Freguesia de Alvega, Concelho de Amieira, Concelho de Vila Flor, Concelho de Longomel,

Julgado de Alpalhão

1836

Comarca de Nisa

Comarca de Portalegre

1838

Freguesia de Alvega, Concelho de Vila Flor,

1895

Freguesia de Amieira

1895

Extinção do Concelho de Gavião

1898

Retoma do Concelho de Gavião

1898

Comarca de Mação

Freguesia da Comenda, Freguesia de Atalaia, Freguesia de Belver, Freguesia de Margem

Comarca de Nisa

1933

1944

Comarca de Nisa

Comarca de Mação

1945

Comarca de Abrantes

Comarca de Nisa

Actualidade

Distrito de Portalegre

Freguesia da Comenda, Freguesia de Atalaia, Freguesia de Belver, Freguesia de Margem, Freguesia Gavião

Comarca de Abrantes

(Fonte: "Gavião - Memórias do concelho"; Patrão, José Dias Heitor; edições Colibri 2003; páginas 89 a 112)

http://gaviao.do.sapo.pt/Plusgaviao.htm

http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:WnHzQG1SW9oJ:home.fa.utl.pt/~al066544/Gavi%C3%A3o.doc+a+cultura+do+arroz+no+concelho+de+gaviao&cd=7&hl=pt-PT&ct=clnk&lr=lang_pt&client=gmail

publicado por DELFOS às 01:02
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
23
24
25
26
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO