05 de Março de 2011

Mas estas terras a ficar muito bravias ou lá um sem porto ou abrigo e a ser obrigado a comer tempestades de areia em um deserto que se vai alongando e sem poder por no bordo no prato, o Sócrates que pensando e julgando que existindo olha só Lisboa e áreas metropolitanas e esquece a regionalização lá no fim do mundo em um país real e profundo em sua viagem por Lisboa e o povo diz que ele é muito sexy e de boas parecenças e que não é estroina ou fogo que se vá lá ver que tem sempre razão ou uma pequenez tão tamanha em uma pedra ainda tão lascada e gosta muito da filosofia do homem e de suas falas e fogo é uma comédia para quem pensa e uma tragédia para quem sente...Olhando mas que olhando e sentindo esta Arez ou uma terra de Arez em lá uma canoa em seus rios e ribeiros  No numeramento de 1732 indica-se que Arez tinha perto de 340 habitantes... e copiando e juntando a WIKIpédia 362 habitantes (2001) apetece dizer que o povo não tem razão e um raio cai no mesmo sítio e a água que passando continua a passar pelo mesmo sítio e a de Castelo da Comenda lhe segue a mesma pisada e diz que apoia a cultura e não lhe conhece a sua origem e lhe falando numa doutora a não colocando se lhe regista mesmo o deserto e grave é ainda o mais o político lá da praça não informando os seus súbitos do seu reino sobre o resultado dos Censos e a plebe ou lá o povinho a andar na ignorância até que o INE se os lembre de os desbloquear em um tempo a dois a três anos  e diz que a informação circula como se não fosse um faz de conta em linhas que cose e corta e uma gotinha muita miudinha caindo de rosa que se diz formosa e muito bela mas que em seu perfume sabe muito a pouco e não lhe tapa o oco e o vazio...

publicado por DELFOS às 16:16
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
20
22
24
27
28
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO