06 de Fevereiro de 2011

O início de 2011 foi marcado pela apresentadação da Rede Nacional de Judiarias, um projecto que resulta do trabalho conjunto de diversas entidades regionais de turismo e o envolvimento de autarquias. O objectivo é incentivar a recuperação e promoção do património associado à herança judaica.

O início de 2011 assistiu à criação de uma associação para dinamizar uma rede de Judiarias de Portugal, no âmbito de um processo que envolve as entidades regionais de turismo do Algarve, Alentejo, Douro, Oeste e Serra da Estrela e que inclui os municípios de Belmonte, Tavira, Castelo de Vide, Guarda, Trancoso, Feixo-de-Espada-à-Cinta, Torres Vedras e Penamacor.

O projecto conta, ainda, com a colaboração das comunidades judaicas de Lisboa, Porto, Belmonte, Lamego e Lagos. António Saraiva, director da APGUR - Agência de Promoção da Guarda, entidade que lidera o projecto, adianta que «no início de 2011 poderá ser a altura ideal e de referência para o aparecimento da associação que dará corpo ao projecto».

A Rede Nacional de Judiarias tem como missão «incentivar a recuperação do património legado pela herança da história judaica portuguesa e promover cultural e turisticamente essa componente da identidade nacional».

O responsável adiantou que «as autarquias, as entidades e os privados envolvidos, mostram-se todos interessados e com a expectativa de que a rede se torne num factor de desenvolvimento importante» para o país.

Indicou que a iniciativa envolverá todas as localidades «que têm herança judaica no seu território» e que nesta fase do processo estão a ser debatidos «os estatutos» da futura associação que irá gerir o plano de âmbito nacional.

A futura rede também deverá «agregar» uma proposta anteriormente assumida pela entidade de Turismo da Serra da Estrela, cuja direcção «é receptiva a essa ideia», disse António Saraiva.

O director da APGUR considera que o projecto é fundamental para dar a conhecer «verdadeiramente a cultura judaica e o seu património» e para «fomentar e valorizar a cultura judaica como um importante factor identificativo e de desenvolvimento».

«Com a criação desta rede pretende-se impulsionar o desenvolvimento integral da sua área abrangente, baseado no aproveitamento de um recurso comum, a cultura e o património judaico, e na conservação do património histórico local», acrescentou.

Disse que a futura estrutura prevê a criação de «uma associação de direito privado, sem fins lucrativos, com presidência rotativa, entre os seus membros».

Referiu que poderão integrar o projecto autarquias onde exista património e cultura judaica, associações ou entidades ligadas à temática judaica, individualidades e empresas.

Como possíveis acções a desenvolver no futuro, destacou a realização de colóquios, seminários e encontros, a elaboração de roteiros e suportes promocionais, bem como a dinamização dos territórios abrangidos e a sua sinalética.
in http://www.cafeportugal.net/pages/noticias_artigo.aspx?id=2728
publicado por DELFOS às 22:47
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
23
24
25
26
27
28
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO